segunda-feira, 7 de maio de 2012

ZIQUINHO, UM POLVINHO DIFERENTE





















NO FUNDO DE UM MAR BRAVIO, NO PORÃO DE UM NAVIO, QUE NAUFRAGOU POR LÁ.
DONA POLVA ESTÁ CONTENTE, SEU MARIDO IMPACIENTE, POIS SEUS FILHOS VÃO CHEGAR.

NAQUELE MESMO DIA, DURANTE UMA CALMARIA, DE UMA TARDE DE VERÃO.
NASCERAM OS POLVINHOS, QUE CHEGARAM DE MANSINHO, PARA ORGULHO DO PAIZÃO.

NASCERAM OS POLVINHOS, QUASE TODOS IGUAISZINHOS, SE NÃO FOSSE UM DOS IRMÃOS.
ENQUANTO SETE DOS POLVINHOS ERAM TODOS IGUAISZINHOS, UM SÓ ERAM BRANCÃO.

POR SER TÃO DIFERENTE, DERAM-LHE O NOME DE GENTE, ÀQUELE POLVINHO ENGRAÇADO.
POR SER TÃO BRANQUINHO, E BASTANTE MIUDINHO, DE ZIQUINHO FOI CHAMADO.

ENQUANTO TODA TURMINHA, VINHA PELA TARDINHA, E NO NAVIO BRINCAVA.
ZIQUINHO TRISTE SENTADO, SENTINDO-SE REJEITADO, NÃO SE CONFORMAVA.

MAS O SÁBIO PROFESSOR, QUE ENTENDIA TUDO DE COR, ERA UM GRANDE TUBARÃO.
PROCUROU POR ZIQUINHO, E LHE DISSE BEM BAIXINHO, TER ENCONTRADO A SOLUÇÃO.

“ZIQUINHO VOU LHE DIZER TUDO QUE TENS A FAZER, PARA PRETINHO FICAR”
“TOME CUIDADO COM A ARRAIA, NADE ATÉ UMA PRAIA E DEIXE O SOL TE QUEIMAR”

PARTINDO SEM DEMORA, NADANDO MAR AFORA, FELIZ SEGUIU ZIQUINHO.
SEM TEMER A ARRAIA, IMAGINANDO-SE NA PRAIA, SÓ QUERIA FICAR PRETINHO.

QUANDO À PRAIA CHEGOU, ZIQUINHO SE ENCANTOU, COM TODO AQUELE LUGAR.
O VENTO QUE SOPRAVA, O COQUEIRO QUE BALANÇAVA, NÃO QUERIA MAIS VOLTAR.

ANDANDO DEVAGARZINHO, PARA AQUECER SEU CORPINHO, E FICAR IGUAL AOS IRMÃOS
ZIQUINHO ENCONTROU NINA, UMA LINDA MENINA, QUE TINHA BOM CORAÇÃO.

_ OLÁ POLVINHO! QUER SER MEU AMIGUINHO? _ PERGUNTOU NINA CONTENTE.
_ SÓ SE DE MIM VOCÊ NÃO RIR, POR EU SER TÃO BRANCO ASSIM. _ DISSE ZIQUINHO SORRIDENTE.

_ PODE TER TODA CERTEZA, SUA COR É UMA BELEZA, NÃO TEM NADA IGUAL.
SEU BRANCO É DIFERENTE, ENCHE OS OLHOS DA GENTE, É ALVINHO COMO O SOL.

_ O MEU NOME É ZIQUINHO, EU QUERIA SER PRETINHO, E NO FUNDO DO MAR BRINCAR.
POR ISSO, VIM PARA A PRAIA, VIM FUGINDO DA ARRAIA, PARA O SOL ME QUEIMAR.

_ MAS MEU AMIGUINHO, SE VOCÊ FICAR PRETINHO, VAI QUERER PARA O MAR VOLTAR.
NUNCA MAIS EU O VOU VER, POIS VAI DESAPARECER, E ME VAI ABANDONAR.

ENQUANTO ZIQUINHO CONVERSAVA, O SOL SEU CORPO QUEIMAVA, SUA COR MUDOU ENTÃO.
ZIQUINHO MUITO FELIZ, DISSE QUE IA PARTIR, PARA MOSTRAR AOS IRMÃOS.

_ TODA TARDE NESTA PRAIA, VENHO FUGINDO DA ARRAIA, PARA ME ENCONTRAR COM VOCÊ.
VOU SER SEMPRE SEU AMIGO, ENFRENTAR QUALQUER PERIGO, MAS NÃO DEIXO DE A VIR VER.

Nenhum comentário:

Postar um comentário